"A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltara ao seu tamanho original." Albert Einstein

quinta-feira, 28 de julho de 2016

A vida é um parque de diversões...

É... quando o negócio tá feio pra mim, a inspiração vem... Comecei a pensar sobre a vida e essa fase minha e aí eu queria uma analogia para explicar, já que amo analogias, então, eis que o parque apareceu. TEmos muitas fases, como a chegada ao parque, aquela excitação e vontade de ir logo em todos os brinquedos, ficamos assim cada vez que começamos algo, quando voltei pra faculdade eu fiquei assim nos primeiros dias, mal dormia de tanta ansiedade e curiosidade. Aí tem a montanha russa que todos já sabem são os altos e baixos que passamos e a adrenalina da descida que parece que vamos morrer, meio que quando estamos entrando num dos baixos da vida, parece que nunca vai ter solução. A questão é que vários brinquedos parecem e representam partes boas e ruins e dá pra falar deles por um bom tempo. Todavia, eu tenho um brinquedo especifico pra falar hoje, um tobogã escuro, daqueles que você desliza sem ver nada. Esse é a espera por algo, você vai descendo pelas suas atividades, pelas tarefas qeu você tem que às vezes o deixam tão envolvido que você nem percebe, você desliza por horas e dias, sem vê-los, sem sentí-los, apenas esperando aquela luz que indica que a brincadeira acabou.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Para o dia do amigo...AMIZADE MAIS VERDADEIRA DE TODAS!

A psicologia do desenvolvimento explica que em determinadas fases da nossa vida os amigos tem um papel tão importante que acabam sendo colocados acima até mesmo da nossa família. A questão é que a minha mãe não tem conhecimento sobre psicologia do desenvolvimento, porém tem muito conhecimento de vida mesmo. Muito sábia a minha baixinha, sim, ela consegue ser mais baixa que eu. Foco, Aline. Ok. Então por causa de toda essa situação eis que quando eu tinha uns 9 anos de idade e insistia em chamar as pessoas de amigas, ela me ensinava algo que na época parecia um exagero para mim, mas que hoje entendo muito bem. Ela dizia assim: essas pessoas aí não são tuas amigas, são tuas colegas, tuas conhecidas, amigo a gente leva tempo pra saber quem são. A mãe não tinha o conhecimento da formação de grupos e sensação de pertencimento de que as pessoas precisam nessa época da vida. Pois bem, o dia que eu chamei alguém de minha melhor amiga mesmo foi o fim da picada pra dona Maria. "Menina, a melhor amiga qeu a gente tem é a nossa mãe", ela me disse com seu sotaque serrano e ali se dera o título de minha melhor amiga. Eu, com a minha cabeça de menina pensei: Mãe é mãe, nada a ver melhor amiga. Bem, hoje eu não tenho ainda a cabeça da minha mãe, mas entendo que o que ela me disse naquele dia é a mais pura verdade. As meninas daquela época só fazem parte de boas lembranças, brincadeiras e estão na minha página do Facebook, mas a minha mãe, essa é pra sempre, com os melhores conselhos, o melhor abraço, as melhoes piadas que ela nem sabe qeu são piadas, a melhor comida, o sorriso mais bonito e o jeito maravilhoso de ver a vida. Eu amo minhas amigas, cada uma com seu jeito único e sua característica única, todas me provaram ser minhas amigas por estarem comigo em momentos difíceis, mas a minha melhor amiga de todas é a Maricota, a Mariazinha, a mãe. Ela me ensinou muitas coisas, ela é sem dúvida uma grande mulher, não só porque é minha mãe, mas porque cativa a todos e é um exemplo de garra, força, determinação, fé e bondade. E hoje foi, sem sombra de dúvida, o melhor dia do amigo que já tive, porque passei o dia inteiro com ela, a minha melhor amiga pra sempre. Tem sido dias difíceis, sim, mas não é sobre eles que quero falar. Quero falar sobre a amizade sem fim que deve existir entre pais e filhos, os laços que não devem se romper de jeito nenhum. O esforço que se deve fazer para cultivar bons momentos em família, para crescermos, para sermos bons e felizes, afinal de contas, a felicidade está nas pequenas coisas, nos sorrisos e gargalhadas, no aperto de mão forte, no carinho, no abraço, em dias de pipoca e chimarrão, bem, esse último é bem particular meu e da minha mãe. Hoje celebrei a nossa amizade, ela não sabe disso, mas tenho certeza que sente... Que eu possa ser uma boa mãe um dia, que eu seja a melhor amiga dos meus filhos e que eu tenha mais dias do amigo com a minha mãe, melhores do que hoje.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Pessoas que me inspiram...



BEm, inspiração vem do nada, ou melhor vem de coisas específicas, mas quando menos esperamos. E nesse momento meu coração está fervendo pelo vídeo que meu melhor amigo postou no Face. Vamos começar do início. Conheço o Andrew há 14 anos e desde novinho ele era famoso por "inventar moda", smepre com um corte de cabelo diferente ou uma combinação de roupa que ninguém usava, até hoje meu pai fala da época em que ele andava de camiseta e gravata. Muitas pessoas tem o costume de dizer "quer chamar a atenção.... " e "bla bla bla". A questão é que ele gosta de coisas diferentes, essa é a marca dele e tipo INCOMODA MUITA GENTE. Por quê?! Sinceramente porque acho que as pessoas tem muito pouco com o que se preocupar. Não é possível, não cabe no meu entendimento o que as pessoas tem a ver com o que os outros vestem ou deixam de vestir, tipo de verdade. A minha amizade com o Andrew é algo improvável quando pensamos nos rótulos que recebemos da sociedade, eu sou A CRENTE, ele é O GAY, ou como ele mesmo gosta de dizer, as pessoas nem conseguem me rotular porque eu acabo deixando todo mundo confuso pelas coisas que faço e posto na internet. Enfim, a questão é que eu e ele não concordamos em muitas coisas, mas A GENTE NÃO SABE, apenas fica implícito pelo nosso estilo de vida. Nossa amizade dá muito certo há tanto tempo, primeiro pq amizade não é sobre concordar com tudo, amizade é sobre amor, aceitação, respeito e apoio. Sabe porque eu disse que a gente não sabe que não concorda um com outro, porque nunca paramos para conversar sobre no que somos diferentes. DEsde a nossa adolescência, um ouve o outro sobre absolutamente qualquer coisa que esse tenha vontade de falar e sabemos quando calar, o que não mencionar, o que não vai enriquecer. Nesse vídeo, o Andrew fala sobre as pessoas que não o conhecem não saberem do que ele ouve na rua, no mesmo instante mandei um áudio pra ele no Whats, dzendo que mesmo quem o conhece não sabe, porque não é do estilo dele espalhar coisa ruim, quando ele está com alguém, ele sempre tem algo bom pra falar, algo engraçado, ele sempre quer te mostrar o lado bom das coisas e das pessoas, ele só fala de quem ele gosta, de quem ele admira, ele não conta o que o incomoda e o que o fere. Confesso que isso por muito tmepo me preocupou, porque eu smepre pensei que ele ficasse guardando pra si e que talvez isso poderia prejudicá-lo em algum momento. MAs qual é o tamanho do altruísmo de uma pessoa que nunca tem um problema pra te contar, não por que não tenha problemas (eu bem me lembro das metas de venda do shopping), mas simplesmente porque prefere aproveitar todo o tempo que tem com as pessoas pra falar de arte e coisas bonitas e música e amor. O legal é que na sexta é o aniversário dele e eu estava tentando pensar em um presente lindo pra ele, mas ele não é apegado a coisas materiais, se eu achar uma coisa muito legal e diferente no lixo e der pra ele, ele certamente vai amar, pq já vai pensar no look da próxima segunda... Então pra que melhor do que palavras pra esse qeu mora longe de mim, mas está sempre comigo pra rir ou chorar, que me ajuda a segurar as pontas quando estou realmente sofrendo ou preocupada, que me dá a casa dele literalmente cada vez que um familiar meu está no hospital, que tem como meta de vida me fazer gostar de porto alegre, já que eu sempre falo pra ele que a única coisa que a cidade tem de bom são os meus amigos que moram nela. O vídeo do Andrew não é sobre homofobia ou feminismo, o vídeo dele é sobre aquela falta de amor que eu mencionei no post passado, sobre esse mundo frio e triste cheio de pessoas tentando fazer você caber dentro de uma caixinha. Eu não acho errado as pessoas tentarem pregar as suas ideias, se você realmente acredita em algo, é natural você querer contagiar os outros com isso. Isso é o natural de qualquer crença e ideologia, é uma pena que nessa vontade de convencer o outro de que a sua ideia é boa as pessoas tendam a partir para a ignorância e para a violência e acabam por se tornar hipócritas, pois demonstram intolerância e arrogância. Seja mais, fale menos. Ame mais, aponte menos. Abrace mais, empurre menos. Elogie mais, critique menos. Como já mencionei aqui, eu sou muito crítica e isso é algo que é bom ser, mas você sair berrando pro mundo tudo o que não gosta ou que não considera certo não vai mudar ninguém, só vai te fazer parecer alienado. Se você quer tanto conquistar seguidores para as suas ideias, seja um modelo que as pessoas desejem seguir, simples assim...
FEliz aniversário adiantado, Andrew, eu te amo e você sabe disso e nós sempre estaremos juntos eu sei, pq as nossas diferenças não nos separam, do contrário, o nosso amor nos une cada dia mais... [coraçãozinho roxo, a nossa cor preferida]

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Sobre o tempo, o amor e outras coisas

Sabe, eu ando sem tempo, faz mais ou menos dois anos e meio que não consigo mais gerenciar minhas prioridades para escrever. Antigamente eu relaxava muito escrevendo aqui e no twitter e por tudo, carente mesmo, a coitada. Nunca fui muito de chamar as pessoas para converar, sempre quis que elas buscassm meu conselho, nunca o contrário. Aí durante um tempo desabafei escrevendo onde os outros pudessem ler, depois guardei pra mim. 
Ando incomodada, como sempre fui na vida, já que sou meio chata mesmo, as coisas com as quais eu não tenho muito a ver me abatem demais, simplesmente porque não consigo acreditar que não tenha nada a ver, eu creio que tudo o que acontece no mundo a ver com todos nós. Sou muitas coisas nessa vida, no caso, tenho muitos papéis e por conta disso eu me responsabilizo, tipo, sinto a responsabilidade mesmo por muitas coisas. Outro dia, uma aluna minha de quem gosto muito e que creio ser uma ótima pessoa, mas talvez tenha alguns pensamentos distorcidos postou uma coisa no facebook, compartilhado de uma página cristã e eu escrevi o seguinte : O tempo que se perde fazendo essas artes de design gráfico e que o povo compartilha poderia ser empregado orando por aqueles que estão distante de Deus em todos os sentidos, pq existe muita coisa nesse mundo que Deus não aceita e que ninguém faz campanha contra, infelizmente o único pecado que se fala é o visível, o povo que ta perdido na pornografia, os jovens que cantam em cima do pulbito e vivem ficando por aí e falando palavrão também fazem coisas que DEus não aceita.. Que possamos orar por todos, então, já que DEus abomina todo tipo de pecado, do mais simples ao mais escancarado, mas Ele ama sem limites a todos nós e foi capaz de dar o próprio filho para nos ensinar que devemos amar a todos sem exceção.. Mais amor e mais oração pelo próximo, menos julgamento e menos dedos apontados, porque é o amor que move o coração de Deus, a correção não resolve, apenas o Espírito SAnto é capaz de convencer o pecador, nós só confessamos que Jesus é nosso Senhor porque o próprio poder dEle age em nós, somos gratos porque a Sua misericórdia nos alcançou...
Sabe, sou Cristã, mas assim, sinceramente isso não é algo que eu viva falando por aí, assim q me apresento, já vejo os supercrentes dizendo: "tens vergonha do evangelho, irmã?!" Sabe, que não tenho, evangelho é vida, evangelho é amor, do evangelho eu não tenho vergonha nenhuma, mas de alguns dos que me chamariam de irmão, ah desses eu tenho vergonha e tenho dó. Aí sabe o que faço, oro por eles, porque esse texto que estou escrevendo aqui não vai mudar o mundo, talvez ninguém leia. Escrevi esse texto mais pra mim, pra descansar por sentir que estou cumprindo com minhas obrigações do que pra qualquer outro propósito. Oro para que as pessoas possam ver Jesus. Ontem escrevi algo pra uma pessoa que me respondeu muita coisa. A palavra diz que no final o amor de muitos esfriaria. A verdade é que estamos congelando nesse mundo, quero chamas acesas nos corações, mas tenho consciência de que sou só uma voz, mas assim, sou uma voz que realmente não vai se calar, enquanto eu puder eu vou gritar amor, principalmente com meus atos, cuidando da minha família, dos meus amigos, dos meus alunos, cumprindo bem com minhas responsabilidades, porque de discursos rasos e hipócritas esse mundo está cheio, nossa, muita gente mesmo encantando pelas palavras bonitas e pela eloquencia no falar. Não sou perfeita, não mesmo. Sou meio julgadora, meio cobradora, meio exigente, as vezes sou grossa com as pessoas sem querer, falo demais, as vezes me precipito no pensar e avaliar, mas assim, eu sei o que é amar, eu busco, sim, igualdade, liberdade e fraternidade, não, não como os slogans bonitinhos, eu busco ordem e progresso, paz e amor, tudo o que está nas bandeiras e na história, mas que infelizmente é sempre usado pra iludir as pessoas dentro de uma ideologia que não e seguida por quem a prega.. Então, por mim, poderia ser abaixo a todas as ideologias, apenas ação individual que vai atingir o coletivo é suficiente. Vamos começar dentro de casa? com o nosso vizinho? com as pessoas do nosso trabalho? com a honestidade das coisas simples? depois a gente muda o mundo, ah não, pera, se cada um começar dentro da sua casa o mundo vai mudar por si só.. Você é o mundo...

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Uma cronica.. A vida eh gramatica.

Parei de escrever aqui, faz um tempo, na ultima tentativa de reativar o blog foi um texto antigo para nao precisar escrever nada de novo. Dei um tempo aqui pra encher as minhas agendas, um dia terei paciencia de passar daqui pra la e de lah pra ca, ou talvez nao. Existem coisas que o mundo precisa ler, outras que soh precisam mudar voce.. Ha as inuteis, as escondidas, enfim, palavras sao assim, podem ou nao servir, mas uma vez lancadas, nunca mais voltam e seguem mudando a todos que leem todas as vezes que sao lidas e remudando, aquela coisa do deixar de ser sendo da filosofia. Quero escrever um livro. Mas e se ninguem comprar. Bem, nao disse que queria vender livros, disse que queria escreve-los. Boa resposta. Sim, eh das do tipo que eu gosto, logicas e certeiras na raiz da palavra. essa coisa de raiz da palavra da problema pra vc, neh?! Bem, vc nem imagina... Ah, sei, smepre vejo voce pegando a palavra na morfologia, na sintaxe, na semantica. Eh, o problema eh que a maioria das pessoas nao esta na sua pragmatica e a sua coerencia parece papo de gramatica. A concordancia nao fechou, as pessoas nao entendem a sua regencia.. E dai que voce precisa de algo, elas simplesmente querem outra coisa. PApo chato, hein. Ah, sim, a maioria das pessoas prefere uma silaba so.. ra ra ra.. bem nem me venha com o restante. ah, entao voce ja sabe. Sim, melhor parar, comecei um texto como Aline e escapei pro eu-lirico, quem vai conseguir diferenciar? Ninguem, a maioria das pessoas acha esse papo de eu-lirico uma bobagem. Ah, eh mesmo. Esse eh soh mais um daqueles posts metidos a besta. Exatamente. Chego a conclusao de que esse deveria ter sido na agenda. Bem, agora ja foi. Uhum, nao tem como voltar atras, sabe como eh, sao palavras...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Relembrando escritas...

Um dia minha linda amiga Renata me convidou para ser colunista no site dela, eu tinha de falar sobre linguagem e educacao... Vou repostar os textos todos aqui, nao sei quando nem em que sequencia, mas ai vai um...

Olá, pessoal! Bom domingo a todos, principalmente àqueles que estão estudando. Momento “Aline, você está louca? Ninguém estuda no domingo...” Ah, não?! Loucos estão vocês... Galera do terceirão que o diga. Não estuda quem não quer um lugarzinho na federal, não é mesmo?! Talvez esses meses de agosto e setembro sejam de trégua, mas acredito que, nesse mundo competitivo e endoidecido em que vivemos, existem, sim, muitos adolescentes, no auge da sua confusão hormonal, em casa praguejando porque o irmão de dez anos pode ficar andando de bicicleta enquanto eles estão presos nas ‘cadeias carbônicas’.
É para vocês e, principalmente, para os seus pais que eu escrevo esse texto, para que vocês entendam o monstro, chamado carinhosamente de VESTIBULAR. O problema não é a prova, galera, não acreditem nisso. O problema é a confusão que vocês mesmo fazem por causa dela. A fase final do Ensino Médio pode se tornar uma dor de cabeça para pais, alunos e professores, tudo por culpa de quem? Deles mesmos. Sim, eu sou professora, mas meus alunos nessa fase já sabem que de mim estão isentos de toda a pressão, até porque eu sei que ela é a raiz desse mal.
Eu vejo jovens de 17 anos pensando que precisam decidir o resto de suas vidas em um único clique, o da inscrição para a universidade. É lógico que essa é uma decisão importante, vocês precisam se preparar para os anos que virão, escolher a profissão e se dedicar para dar o seu melhor, porém não encarem isso como o ponto final da vida. Não é como se vocês estivessem condenados a fazer isso pra sempre. A nossa perspectiva muda e o que parece hoje ser uma mina de ouro pode amanhã ser apenas uma lojinha de bijuterias. Tomem cuidado para não escolher uma faculdade simplesmente pelo status e pela expectativa salarial, pessoas que fazem isso têm a tendência a serem frustradas e infelizes. Às vezes “curtem” a sua depressão em Paris, eu sei, mas mesmo assim são infelizes e, pelo menos, na minha opinião, não vale a pena chorar todos os dias dentro de uma Ferrari...
Não me compreendam mal, não quero dizer que devemos ser bobinhos e não querer conquistar coisas na vida, mas já é conhecido o fato de que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (I Tm 6:10-11), certo?! Então, vestibulandos dessa vida, escolham algo em que vocês terão prazer de trabalhar e lembrem-se também de que é permitido mudar de idéia e se um dia alguém não se sente mais feliz com uma profissão, pode recomeçar.
Pais de vestibulandos, por favor, não façam os seus filhos pensarem que eles dependem de um diploma para ter o seu amor, nem que o primeiro lugar vai garantir a sua herança, não façam eles pensarem que só serão bons o bastante se superarem as expectativas acadêmicas. Existe uma grande parcela da população que detesta o seu trabalho porque um dia foi obrigada a escolher aquela profissão, portanto não pressionem os seus filhos a fazerem o que vocês querem ou a realizarem os seus sonhos frustrados...
Vivemos em uma sociedade individualista e preconceituosa, então não se iluda com a idéia de que o vestibular é uma forma de provar que você é bom, estude e se esforce, dê o seu melhor, mas não seja escravo disso e não se cobre tanto, o futuro está cheio de opções e se não for como você esperava agora, sempre pode ser daqui a pouco. 

Gosto muito da crônica “A lição de Noé” de Rubem Alves, a qual fala exatamente disso, do engano que é o mercado de profissões e da limitação que elas trazem para a vida do jovem. Quem tiver a oportunidade de ler na íntegra, aproveite, ela é ótima. Aqui fica a sua lição final: “Nunca se sabe o futuro das profissões e dos empregos. Um tal de Noé, por profissão fabricante de vinhos, muito tarde na vida teve de aprender o ofício de construtor de navio. Não fosse isso, teria morrido afogado.”

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

uma dor, um fardo, um amor

então foi um arranhão no parachoque
bem menos que os muitos arranhões na alma
ele soh precisava de um toque
e isso lhe devolveria a calma

nessa vida tudo passa, tudo muda
ele só queria um olhar, uma ajuda
mas nenhum deles jamais parou pra perceber
tudo o que lhe davam eram problemas pra resolver

para um soneto a métrica não funcionou,
mas, assim, a menina de olhos pequenos
através de sua dor, enxergou

dorme tranquilo, menino
alguém te ama agora,
ela te espera, enquanto você chora.